Separei, aqui, dez coisas que eu amei saber e achei que vocês também poderiam gostar:

1.Há um simples e claro motivo para aplicar o perfume em áreas como pulso e aquela dobrinha do braço: são áreas onde há maior circulação sanguínea e, portanto, exalam melhor o aroma (não esfregue um pulso no outro pois o ato pode fazer com que a fragrância evapore mais rápido do que deveria!).

2.Outras áreas, como atrás das orelhas e dos joelhos (essa eu nunca tinha entendido!), têm uma razão um pouco mais estratégica. Antigamente era considerado “elegante” cochichar elogios no ouvido das mulheres. Por isso, esse local era escolhido para estar estrategicamente perfumado. Atrás dos joelhos, além de ser uma região também favorecida pela circulação sanguínea, tinha outra questão: as mulheres usavam saias com frequência e a ideia era que, quando cruzassem as pernas, exalassem o perfume, considerado uma ferramenta de sedução.

3.A validade média de um perfume é de 3 anos. (um problema para mim, que gosto de ter vários!). Fique atenta a coloração da fragrância. Quando começa a ficar muito amarelada ou mudar de cor e com aroma mais concentrado é porque – infelizmente – ele está perto do prazo final.

4.O melhor lugar para guardar seu perfume é (adivinha?) dentro da sua própria caixinha! Mas quem, assim como eu, gosta de deixá-los a mostra como parte da decoração, a dica é mantê-los longe do sol e do calor (ou vapor do banheiro!). Assim, ficam protegidos e duram mais tempo.

5.Não existe fixador de perfume. O que determina a durabilidade da sua fragrância é a concentração das notas em sua composição. Quando mais concentrado e com notas menos voláteis (que não evaporam tão fácil), mais tempo ele ficará na sua pele. Uma água de colônia, por exemplo, é feita para ser mais fresca e, portanto, seus ingredientes (cítricos, muitas vezes), são evaporados” mais rápido. Por isso, inclusive, muita gente usa de forma abundante, no corpo todo (sua composição permite isso). Já a Eau de Parfum, por exemplo, possui notas mais concentradas e menos voláteis e, por isso, a tendência é que o aroma permaneça exalando por mais tempo.

6.Possuímos um mecanismo no cérebro que, após sentirmos muitos aromas de uma vez, os bloqueia e deixamos de senti-los direito. Por isso muitas lojas possuem café para neutralizar os cheiros entre uma experimentação e outra. Mas segundo Cesar, não precisa ser, necessariamente, o café. Dar uma voltinha, por exemplo, ou sentir qualquer aroma neutro, é tão eficiente quanto. No entanto, a indicação dele é sentir no máximo quatro aromas em uma mesma visita à loja.

7.Dar uma volta no shopping (ou no aeroporto) antes de comprar o perfume é a melhor maneira de saber como ele vai ficar na sua pele. Como as primeiras notas que sentimos são as que evaporam mais rápido, o aroma que vai ficar quando elas “saírem” é mais real.

8.Fatos da história estão diretamente relacionado aos lançamentos de perfumes. Tempos de crise econômica na Europa, por exemplo, deram origem ao Joy, de Jean Patou, criado para trazer alegria para as pessoas em momentos difíceis como esse.

9.Peles oleosas retém melhor o aroma dos perfumes do que as secas. Um jeito de aumentar a durabilidade da fragrância é manter a pele sempre hidratada. Se o creme/loção tiver o mesmo aroma, ainda melhor!

10.O fato de usarmos um perfume para ocasião ou para cada dia tem a ver com as fragrâncias serem um verdadeiro meio de comunicação. As famílias olfativas funcionam como “códigos”, capazes de passar uma intenção, mensagem e até humor!